Poesias engraçadas.

Se quer manter sua imagem,
Seu respeito e seu pudor;
Nunca faça a sacanagem
De peidar no elevador.

Escrevo para receber elogio
Se ninguém diz nada,
Já desconfio.

Voltando prá casa, à tarde,
Mais um dia de trabalho;
O sol no meu olho arde,
Tô cansado prá caralho.

As mocinhas da televisão,
Malhadas e bonzeadas deliciosas são.
Enquanto as aprecio bem de fininho,
Minha mulher tá de olho é no mocinho...

Poesia grande incomoda,
Ninguém tem saco prá ler.
Faça um versinho bem foda,
E lembrarão de você.

Meu pai era poeta.
Minha mãe era poeta.
Meu irmão não é poeta.
Minha irmã não é poeta.
E eu sou metido a besta.

Comi todas que dei conta,
Mas isso não me consagra;
A vida, enfim, me apronta
E faz escravo do Viagra.

Políticos, no Brasil,
Com bem raras exceções,
Matam o povo num covil;
Como se fôssem leões.

Quando vejo minha vizinha
Alguma coisa me puxa,
Acontece que a velhinha
Tem uma cara de bruxa.

Viver de Literatura
É coisa prá quem tem nome.
Só versinhos não segura
E você morre de fome.

Se você gosta de ler
Um versinho original,
Te convido a aparecer
Dia desses num sarau.

Gastei um ano inteiro
Doze meses da minha vida
Seis deles com bebida
Outros seis num puteiro
(Fogovivo)

Apesar da apoteose
Que fazem do futebol,
Sou mais tomar uma dose
A ver tanto besteirol.

Quando olho para o alto
E vejo estrelas brilhando,
Eu concluo num assalto:
Vou morrer conjecturando.

Se já fez sua refeição
Considere-se "bonito",
Tem "niguin" nessa nação
Matando cachorro a grito.

Pensando em fazer um estudo
Investigativo dos anseios da mulher,
Notadamente no campo emocional;
Tentei descobrir o que ela quer.
Observe o que achei, na vertical.

Fui pescar e lá no rio
Vi uma bela capivara.
Não pesquei o que queria
E assim, guardei minha vara.

Sou um analfabeto financeiro.
Eu juro.
Gasto mal o meu dinheiro.
Vivo duro.

Filho é o melhor presente
E isso não há quem discuta,
Se alguém pensa diferente
Deve ser filho da puta.

Visitar sem avisar
Considero uma roubada,
Tem gente que deve achar
Que essa surpresa agrada.

Descobri que estes versinhos
São de fácil construção
Só não sei se os danadinhos
Causam bem ou irritação.

Batatinha quando nasce,
Jácare sem pescoço,
Se tú me amas,
Porque roubaste minha monareta.

0 comentários:

Gaveta

Com limão Copyright © 2014 - Todos os Direitos Reservados